Warren Wong, Unsplash

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 30% da população mundial sofra de depressão ao longo da vida. Estima-se que metade dos casos de depressão aconteçam antes dos 18 anos.

Os especialistas ainda não chegaram a um acordo sobre qual fator é realmente predominante para desencadear uma depressão. No entanto, sabe-se que este é um transtorno psiquiátrico que pode ter uma origem genética ou ambiental.

Apesar de a patologia ser mais facilmente identificada durante a vida adulta, os jovens são um público especialmente vulnerável, por ainda estarem a aprender a lidar com as agruras da vida e as suas frustrações.

Como tal, estes cinco sinais da doença mental podem estar presentes nos mais jovens, a que familiares, professores e amigos devem ter em atenção.

  1. Ausência de objetivos ou de planos de vida

A fase da adolescência é um período de constantes descobertas, – da própria personalidade e do mundo à sua volta -, e de tomada de decisões importantes.

Temas como a escolha da profissão ou da universidade para prosseguir os estudos assustam muitos rapazes e raparigas, que na decidir esquecem a sua própria vontade. A insegurança, antes da decisão, e o possível arrependimento, posterior, podem definir os seus futuros.

O consequente descomprometimento com o futuro é um sinal de alarme para a depressão.

  1. Rendimento escolar baixo

A alteração da forma como o jovem vê a escola e da sua velocidade de raciocínio refletem-se no rendimento escolar, o que afeta a assiduidade e as suas notas académicas.

  1. Alteração de comportamentos

Segundo os especialistas, um quadro depressivo não é apenas moldado por sentimentos de tristeza e introversão. O excesso de mau humor, irritação, mudança no peso e variação no padrão de sono também podem indicar o começo da doença.

Desânimo, choro excessivo, não conseguir ser pró-ativo e deixar de sentir prazer em atividades que antes considerava divertidas também podem ser consideradas sintomas de depressão.

  1. Procurar refúgio e ter prazer virtual

Se o adolescente perde a capacidade de se divertir com amigos, deixa de ter vontade de estar no exterior ou de praticar desporto, por exemplo, e passar a procurar alternativas no mundo online, é altura de procurar auxílio profissional.

  1. Pensar sobre a morte ou ter ideias suicidas

Dados da OMS revelam que o suicídio é a segunda principal causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos. A primeira são causas externas, como acidentes e homicídios.

Embora, em casos graves, a depressão possa levar ao suicídio, nem todos os casos estão relacionados à doença.