Como surgiu o festival?
O Festival Imaginário é o primeiro festival de artes dedicado às famílias, realizado em Sintra, que envolve os participantes, crianças e adultos, na descoberta de um imaginário comum através das artes e da natureza. Este festival surge porque, ao longo destes anos, nos apercebemos que a programação para crianças e, sobretudo bebés, tem muita procura, mas que, apesar de existirem muitos eventos para os mais pequenos, ainda não existia um festival de artes pensado para toda a família. Este ano, achámos que era a altura ideal para avançar com o projeto, em jeito de celebração do 20.º aniversário da Associação Cultural BYfurcação.

Margarida Cunha, produtora do Festival Imaginário

Qual o seu conceito?
O nosso propósito com este evento foi criar um festival de artes para famílias. Integrando-o num cenário de grande beleza natural, a Quinta da Ribafria, o nosso objetivo é despertar a imaginação de miúdos e graúdos através de várias atividades culturais participativas – teatro, música, dança, literatura, entre outras.

Qual a missão e filosofia por detrás deste evento?
Além de querermos criar momentos de família, em que todos desfrutem do espaço e das atividades, pretendemos também sensibilizar para a importância da preservação da natureza e convidar as famílias a redescobrir o espaço verde, através de atividades, performances e exposições inusitadas que acreditamos que vão despertar a curiosidade e a imaginação.

Que objetivos pretende com ele alcançar?
Em primeiro lugar, pretendemos reunir as famílias num local onde possam interagir e viver momentos inesquecíveis para todos. Por outro lado, queremos também proporcionar o contacto com a natureza e com a arte, através de uma programação pensada para todos os gostos e idades.

Que actividades integram o programa?
O programa foi feito a pensar em toda a família e, por isso, é muito diversificado. No primeiro dia, 31 de maio, entre as 10h00 e as 17h00, teremos atividades destinadas às escolas e à população sénior, como teatro, música ‘folk’ ou dança adaptada para os mais idosos. A abertura oficial acontece às 22h00 com o espetáculo “LÚMEN: Uma história de AMOR”, uma narrativa musical interpretada por marionetas gigantes iluminadas, que vêm de Alcobaça para percorrer o centro histórico de Sintra. Este espetáculo é aberto ao público e vai percorrer as ruas da vila com bonecos com quase cinco metros e uma banda que acompanhará todo o espetáculo. A companhia d’Click vem de Espanha para estrear “Isla”, um espetáculo de novo circo que parte do sonho e da alucinação de três personagens náufragos que vão criar estratégias inusitadas para superar os limites das suas próprias ilhas. Teremos também outros espetáculos de teatro, teatro de improviso, música de vários géneros, curtas de animação e workshops.

Para que idades se destina o festival?
O público do Festival Imaginário são sobretudo famílias com crianças com idades compreendidas entre os 0 e os 14 anos. No entanto, a programação do festival pretende ser abrangente e apelar à diversidade etária e social.

O que vão os bebés por lá poder fazer?
Sabemos que os pais tem cada vez mais interesse nas atividades para bebés, pelo que tentámos ter várias hipóteses para este público: há um espetáculo de teatro da companhia Som de Algodão, há dança para bebés com a companhia Ai! A dança, atividades de yoga com a escola Babyoga Portugal ; ginástica para bebés, com o projeto Baby Jump e uma caminhada sensorial, que pretende, promover o contacto com os elementos da natureza, estimular os sentidos e desenvolver a confiança e laços familiares, com o projeto Percursos Sensoriais.

O apoio da Câmara de Sintra é importante para o sucesso do evento?
O apoio da Câmara Municipal de Sintra, bem como de todos os outros parceiros, é fundamental, particularmente porque sendo uma associação cultural precisamos de parceiros que nos ajudem a concretizar as nossas ideias. O Festival Imaginário conta com a apoio da Câmara Municipal, da Fundação Cultursintra e dos Parques Monte da Lua, bem como dos museus e bibliotecas de Sintra e de outras entidades locais e não só , como o Movimento Claro Sintra, o Conservatório de Música de Sintra, a Associação Plantar uma Árvore e a Escola Secundária Santa Maria, cujos alunos do curso de Artes do Espetáculo irão animar o espaço do festival.

Conte-nos um pouco mais em detalhe a programação do festival. 
Além dos espetáculos que mencionei, há um vasto leque de outras atividades: o Movimento Claro Sintra promove uma caminhada de recolha de lixo; a associação Plantar uma Árvore fará workshops; os museus de Sintra vão promover atividades diversas relacionadas com as suas coleções ; existirá um espaço dedicado ao livro e à literatura, em parceria com a editora Bruaá e a livraria Gatafunho; teremos jogos tradicionais e jogos de tabuleiro. As crianças vão poder fazer pinturas com materiais da floresta e marionetas de fio, com materiais reciclados com a artista plástica Marta Silva. Em termos de música, teremos uma oferta diversificada: o Coro Infantil Sintra Voci, do Conservatório de Música de Sintra, Farra fanfarra com a sua animada banda que irá deambular pela quinta da Ribafria para um cortejo em família, os Dahú – que animarão o dia com baile folk e os Magano que reinterpretam de uma forma única as melodias do cante Alentejano. Do norte vêm as curtas metragens que marcaram as últimas edições do CineEco – Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela. No teatro destacamos Monda – Teatro-Música, com uma história que convida pais e filhos a participar num baile muito especial e Gira- Mundo, do Teatro Quadrilha, um espetáculo de Novo Circo que promete surpreender.

Exactamente onde vai ele ter lugar?
Com exceção do espetáculo de marionetas gigantes, que terá lugar no centro histórico da vila de Sintra, todas as atividades decorrem na Quinta da Ribafria.

É este um evento gratuito? Se não, quais os preços?
Os bilhetes custam 5€ (crianças com mais de 5 anos e séniores +65 anos) e 10€ para adultos e podem ser adquiridos na ticketline, através o email reservas@byfurcacao.pt ou no local nos dias do evento. Existem também passes para os dois dias e descontos que podem ser consultados no site do festival.

Que outras surpresas/novidades vão os visitantes encontrar no recinto?
Entre outras instalações inusitadas, vamos ter uma orquestra de instrumentos suspensos feitos a partir de objetos recuperados do dia-a-dia. Chamamos-lhe suspensório sonoro e é capaz de transformar as crianças em músicos. Enquanto brincam e exploram o movimento tornam-se músicos, ora por vontade própria, ora sem querer.

Por Sandra M. Pinto