Nos próximos anos, vai passar a ser obrigatório para as crianças a partir do ensino básico. As crianças fazem parte da força de mudança de comportamentos na sociedade. A estratégia do Governo vai no seguimento dessa ideia.

A necessidade de uma alteração de paradigma na mobilidade e no ambiente veem nesta medida uma forma de o conseguir. Fazer com que as crianças desde muito cedo estejam preparadas para se deslocarem pelos seus próprios meios, de uma forma amiga do ambiente.

A Estratégia Nacional para a Mobilidade Ativa apresentada nesta quinta-feira alertou para um “processo de formação faseado ao longo dos vários níveis de escolaridade”. Assim, no 1º ciclo as aulas serão em contexto protegido, no 2º, 3º ciclo e secundário haverá uma passagem para o espaço público.

O melhoramento do Código da Estrada obriga também a uma parte formativa. A formação para obter uma carta de condução de veículos motorizados tem um elemento orientado para a proteção dos velocípedes.

Está ainda a ser estudado um alargamento da cobertura do seguro escolar, face à possibilidade de incluir proteção nos acidentes que envolvem alunos que se deslocam para a escola com bicicleta.