A agência norte-americana Food and Drug Administration (FDA) acaba de aprovar o primeiro medicamento para tratar alergias severas ao amendoim em crianças. O novo medicamento ajuda a aumentar a tolerâncias a pequenas quantidades ingeridas de amendoins e a diminuir o risco de uma exposição acidental, não fornecendo por isso uma cura e mantendo-se o risco de uma reacção anafiláctica fatal.

O novo medicamento foi aprovado para ser administrado em pacientes com idades compreendidas entre os 4 e 17 anos e é comercializado na forma de pó para ser espalhado nos alimentos. Terá um custo mensal de $ 890 (aproximadamente 800 euros).

Esta medicação usa a imunoterapia oral, com as crianças a receberem quantidades pequenas, mas crescentes de proteína de amendoim (contida no medicamento) por um período de seis meses, sempre sob supervisão médica. Após esta fase, os doentes devem continuar a ingerir uma dose diária para aumentar a tolerância a uma exposição acidental.

Embora já tenham sido realizados testes para dessensibilizar pessoas com alergias aos amendoins nos EUA, este é o primeiro medicamento a ser aprovado pela FDA, agência equivalente ao Infarmed português.

Nos EUA, 2,5% das crianças são alérgicas a amendoins e as crises anafilácticas provocadas por este fruto seco são as que registam maior número de ocorrências. Na Europa, o número de pessoas alérgicas ao amendoim também tem vindo a aumentar, mas para já este medicamento ainda não teve “luz verde” para ser administrado no velho continente.