Free-Photos / Pixabay

As empresas tecnológicas estão a apostar no combate à pedofilia e a fazer tudo ao seu alcance para travar este flagelo. Depois de a Apple começar a supervisionar as fotos enviadas para a sua iCloud, é a vez de a Microsoft entrar nesta batalha.

Com o nome de código Project Artemis, a empresa acaba de lançar uma ferramenta que verifica os chats, pesquisando históricos para procurar padrões que indiquem se um predador assediou ou vai assediar crianças. Em termos prácticos, esta ferramenta, patenteada pela Microsoft, utiliza os históricos de conversações para classificar as conversas. As empresas que optarem por usar esta ferramenta podem recorrer à intervenção de um moderador humano, se a classificação da conversação assim o justificar.

A Microsoft já utiliza esta ferramenta para monitorizar conversações na plataforma Xbox e, neste momento, considera integrá-la em outros serviços de chat como o Skype. Sobre este assunto, Courtney Gregoire, responsável de segurança digital da Microsoft, já disse que “a exploração e abuso infantil online, assim como a detecção de cuidados infantis online são problemas complexos, mas não nos sentimos intimidados perante estas dificuldades”.

A nova ferramenta é o resultado de uma parceria de colaboração entre a Microsoft, The Meet Group, Roblox, Kik e Thorn e está disponível para as empresas que disponibilizem a funcionalidade de conversação.