Um dos viajantes mais conhecidos da história do romance do século XVIII é o objeto de inspiração nesta produção de Tiago Cadete. As aventuras de Gulliver colocam-no na posição de um navegador anti-herói, que encontra habitantes minúsculos com nomes estranhos. Este é um projeto para o público infantojuvenil, que se desdobra entre a criação de um peça de teatro e um conjunto de oficinas pedagógicas.

No entanto, este Gulliver é uma espécie de VJ que usa o grande arquivo de imagens encontradas na internet sobre as interpretações de “As Viagens de Gulliver”, e surge como uma inteligência artificial que vem do futuro. Ele utiliza os meios digitais para contar a sua história e aceder criativamente à memória coletiva, através de documentos, imagens e sons construídos nos últimos quase 300 anos.

Em Gulliver, pretende-se pensar criativamente o uso das imagens digitais que fazem parte do universo das crianças, abordando temas fundamentais dos dias de hoje como o colonialismo, a migração – o lugar do viajante. Tudo isto com a ajuda de uma projeção em vídeo que funciona como um grande ecrã táctil em palco e que será fundamental para a interatividade do espetáculo. 

O criador Tiago Cadete nasceu em Faro, 1983 e vive atualmente entre Lisboa e o Rio de Janeiro. O seu trabalho situa-se na fronteira entre as Artes performativas e Visuais. Frequenta o Doutoramento em artes visuais EBA-UFRJ onde é Mestre pela mesma instituição. É licenciado em Teatro ESTC. Pós Graduado em dança pela Faculdade Angel Vianna.

Em 2011 participou no projecto europeu de pesquisa e criação de performance A.D.A.P.T das suas criações destaca “HIGHLIGHT”, “GOLDEN” e ”ALLA PRIMA”. Desde 2009 colabora regularmente com Raquel André tendo criado as peças: “NO DIGITAL”, “LAST” e “TURBO_LENTO” como o apoio da FCG, GDA e da Dgartes. Colabora com criações para o Serviço Educativo da Culturgest. É artista associado da EIRA.

Em baixo pode ver o teaser e pode comprar bilhetes online.