A Universidade de Newcastle, no Reino Unido, está a realizar um estudo que envolve milhares de famílias para ajudar futuros pais a saberem se é provável que tenham meninos ou meninas.

Para já a investigação liderada pelo cientista Corry Gellatly mostra que os homens herdam a tendência do género dos filhos dos seus próprios pais. Desta forma, é provável que um homem com muitos irmãos rapazes tenha filhos do sexo masculino, enquanto um homem com mais irmãs tendencialmente terá filhas raparigas.

A investigação envolveu um estudo de 927 árvores genealógicas com informações sobre 556.387 pessoas da América do Norte e Europa, que remontam ao ano de 1600.

“O estudo da árvore genealógica mostrou que a probabilidade de ter um menino ou uma menina é herdada. Agora sabemos que os homens têm mais probabilidades de ter filhos se tiverem mais irmãos, mas são mais propensos a ter filhas se tiverem mais irmãs No entanto, nas mulheres, simplesmente não é possível fazer previsões “, explica Gellatly.

Os homens determinam o sexo do bebé, dependendo de o esperma transportar um cromossoma X ou Y. Um cromossoma X que combine com o cromossoma X da mãe cria um bebé do sexo feminino (XX) e um cromossoma Y que se combine com o X da mãe dá origem a um bebé do sexo masculino.

A investigação da Universidade de Newcastle sugere ainda que um gene ainda não descoberto controla se o esperma de um homem contém mais cromossomas X ou mais Y, o que afecta o sexo dos bebés. Numa escala maior, o número de homens que transportam mais cromossomas X no esperma em comparação com o número de homens com mais cromossomas Y pode afectar o ratio de género das crianças nascidas todos os anos.