O Município de Torres Vedras apostou na criação de um programa de Sustentabilidade na Alimentação Escolar que desenvolve diariamente com o objetivo de combater comportamentos desviantes e promover estilos de vida saudáveis, aliado ao desenvolvimento de noções de sustentabilidade ambiental. Uma iniciativa que tem por base a responsabilidade que o município assume na formação dos seus munícipes, sobretudo dos mais jovens.

Tudo começou no ano de 2008 com a criação de uma rede de entidades ligadas à economia social e solidária, que foi o ponto de partida e o alicerce para o projeto de gestão local das cantinas públicas que o Município de Torres Vedras assumiu como sua responsabilidade, e que teve desde logo um objetivo muito bem definido: permitir o fornecimento de refeições mais saudáveis à população escolar.
É a partir daqui que nasce o Programa de Sustentabilidade na Alimentação Escolar, que possibilita a todas as crianças do ensino público pré-escolar e básico tenham acesso diário a refeições confecionadas na própria escola e com produtos locais provenientes de explorações agrícolas do Concelho.

Atualmente são cerca de 4 mil as crianças abrangidas diariamente por este projeto, alicerçado nos produtos e na tradição gastronómica da região, e assente em quatro eixos de ação: produção, aquisição, confeção e consumo. E como é que tudo isto se concretiza? No primeiro passo – a produção – a aposta passa pelo contacto direto com o processo de cultivo dos bens alimentares hortícolas, com programas criados propositadamente para o efeito, como por exemplo a “Horta Viva” que através de hortas comunitárias visa contribuir para a sustentabilidade ambiental, combater a pobreza, e facilitar o acesso à terra por parte de potenciais agricultores, ou ainda a iniciativa “Hortas Pedagógicas” através do qual o Município destaca um jardineiro para o acompanhamento das 8 hortas pedagógicas instaladas em escolas, proporcionando aos alunos um contacto direto com os produtos hortícolas. No que à aquisição diz respeito, o processo passou pela criação de normas relativas à sustentabilidade das compras públicas, adquirindo os bens a produtores locais. Por sua vez, no que toca à confeção dessas refeições escolares, para garantir o seu fornecimento foi criada uma rede de IPSSs que trabalha em conjunto com o município. O ciclo fecha-se com o consumo destas refeições por parte das crianças, que juntamente com outros programas como o Escola Ativa (combate à obesidade infantil através do aumento da atividade física), Heróis da Fruta (promoção do consumo de fruta nos lanches escolares), Regime de Fruta Escolar (distribuição gratuita de fruta junto dos alunos do 1º ciclo) e “Almoça comigo nos meus anos” (convite aos pais para acompanharem os seus filhos no almoço escolar no dia do seu aniversário), procuramos fomentar os bons hábitos alimentares e associá-los às questões da saúde.

Contudo, a importância deste programa vai muito mais além do que suprir ou dar resposta a determinadas carências. A eficiência do Programa de Sustentabilidade na Alimentação Escolar reside no conceito de sensibilidade para a sustentabilidade, ou seja, quanto mais próximo de “casa”, mais fresco. Desta forma, verifica-se uma valorização óbvia do produto local através da entrega diária de produtos frescos, nomeadamente carne, hortícolas, frutícolas e pão. Estas são condições que fazem com que se confecionem refeições escolares de qualidade e nutricionalmente equilibradas, com produtos de origem sustentável. Promove-se a compra de produtos alimentares provenientes de fornecedores locais, distribuídos a granel sem estarem pré-embalados, assim como a proximidade geográfica dos mesmos, propiciando a redução da pegada ecológica.

A todos estes aspetos alia-se outro não menos importante, e que está relacionado com o impacto positivo que este Programa tem na economia local. O reflexo está no aumento do volume de negócio dos produtores locais, desafiando-os assim agir e repensar a forma de produzir, tendo de responder às exigências nas áreas da segurança alimentar e nutrição: matérias-primas fornecidas por operadores locais, em produções agrícolas menos intensivas, decrescendo o recurso a aquisição de produtos alimentares.

O Programa Sustentabilidade Alimentar Escolar é mais do que um programa de alimentação saudável, é um exemplo da participação ativa do Município na vida dos seus cidadãos. Este é um projeto de desenvolvimento local que combina sustentabilidade ambiental com a promoção da saúde, que potencia o envolvimento da sociedade civil, promovendo a participação ativa do Município e das juntas de freguesia, mas também IPSS, associações locais, agrupamentos de escolas, pais e encarregados de educação e alunos do Concelho.