Soraia Oliveira, Médica dentista, prática clínica em Ortodontia e Odontopediatria. Certificação InvisalignInvisalign

O desenvolvimento dos dentes inicia-se quando o bebé ainda está no útero da mãe mas, em geral, o primeiro dente aparece por volta dos 6 meses.

Normalmente, o primeiro dente a romper é um dos incisivos centrais inferiores (a meio da gengiva de baixo), rapidamente seguido pelos incisivos centrais do maxilar inferior e superior. O nascimento dos primeiros dentes é uma fase de alegria e orgulho para todos os pais. Durante este período há também algum sofrimento, tanto para os bebés como para os pais, por não entenderem o porquê de os bebés chorarem ou de se recusarem a comer. É muito comum os bebés sofrerem mudanças de humor, distúrbios de sono e podem até mesmo ter febre.

A genética influencia o momento em que os dentes começam a aparecer, por isso, nascerem mais tarde não significa que haja algum problema com o desenvolvimento do bebé.

O que acontece quando os dentes estão a nascer?

Durante a erupção dos dentes, os bebés têm mais saliva na boca do que o habitual e as gengivas podem ficar inflamadas e vermelhas. Frequentemente os bebés colocam as mãos e objectos mais vezes à boca, têm vontade de morder, perdem o apetite e têm dificuldade em adormecer.

Alguns bebés podem rejeitar a mama ou o biberão nesta altura, porque o contacto com as gengivas doridas aumenta o incómodo da zona afectada.

Nestes casos, ainda que raramente, poderá surgir uma febrícula (excepcionalmente acima de 38,8º C). O nascimento dos dentes pode coincidir com a entrada na creche, onde o bebé contacta com outras crianças e pode ficar doente. Assim, a febre pode não ser um sintoma do nascimento dos dentes, mas sim um sinal de doença.

Todos os bebés reagem de forma diferente à erupção dos primeiros dentes. Enquanto alguns ficam muito queixosos, choram, tentam morder tudo o que consigam levar à boca, ou recusam-se a comer, outros, felizmente, sentem apenas um desconforto ligeiro.

Todos estes sintomas ocorrem alguns dias antes de os dentes aparecerem.

Logo que o bebé tenha dentes pode começar a escová-los com uma escova de dentes com cabeça pequena e macia. Será uma tarefa divertida e eles devem entender que escovar os dentes é importante e assim nunca se irão esquecer, à medida que vão crescendo. Ao nascer o primeiro dente de leite a higiene oral deve passar a ser uma preocupação dos pais.

No fim de cada refeição os pais devem limpar os dentes com uma compressa molhada ou dedeira nas gengivas do bebé, dentes que estão a nascer, língua e bochechas, para limpar e eliminar todos os restos de alimentos. Faça esta higiene duas vezes ao dia, sendo particularmente importante fazê-lo antes de dormir.

A especialidade que trata os dentes de leite das crianças é a Odontopediatria. Muitas pessoas podem achar que é muito cedo para ir ao dentista, mas a primeira consulta deverá ser feita logo no primeiro ano de vida do bebé. Esta consulta orienta os pais para uma correcta higiene oral do bebé, estabelecendo um plano de prevenção oral. São também discutidos temas como o uso da chupeta, biberão e hábitos alimentares. O odontopediatra irá responder a todas as suas dúvidas!

Após esta primeira consulta, o bebé deve visitar a clínica para prevenção e acompanhamento do seu crescimento consoante a opinião do médico, sendo que as visitas não serão mais espaçadas que seis meses. É muito importante que o bebé se habitue ao ambiente da clínica, para nunca gerar medos, mas sim conforto e confiança.

Pode acalmar a dor da erupção dos dentes do bebé com as seguintes dicas:

  • Usar um mordedor gelado ou uma compressa molhada em água fria e passar nas gengivas do bebé, para que possa morder e dissipar a dor.
  • Pode colocar dedeiras no congelador durante uns minutos e massajar a gengiva do bebé.
  • Nunca mantenha o frio de forma contínua em contacto com a gengiva e não ofereça objectos que possam ser aspirados por ele.
  • Se o bebé já ingerir alimentos sólidos, pode optar por uma sopa mais fria ou puré de maçã.
  • Pode aplicar gel analgésico disponível em farmácia. O efeito é temporário, mas alivia o desconforto.
  • Muita paciência e distracção: quando está presente alguém de quem o bebé gosta muito pode brincar e distraí-lo para que se esqueça do incómodo que sente. Rir é a melhor forma de desviar a atenção e ajuda no relaxamento dos músculos respiratórios.

Artigo publicado na revista Kids Marketeer nº6 de Dezembro de 2018.