Embora seja prática comum há décadas levar os recém-nascidos a um banho nas primeiras horas de seu nascimento, um estudo recente norte-americano descobriu que esperar para dar banho a um recém-nascido saudável 12 ou mais horas após o nascimento aumenta a taxa de exclusividade durante o aleitamento materno.

Para efeitos deste estudo, a amostra teve em consideração 1000 bebés numa clínica no Estado do Ohio, nos Estados Unidos da América. Pouco menos de metade deles (448) recebeu um banho logo após o nascimento, enquanto 548 viram esse momento adiado. Os resultados mostraram que as taxas de amamentação foram quase 10% maiores no segundo grupo, 68,2% contra 59,8%.

Para os investigadores, a descoberta não é novidade e reforça a necessidade da prática ser mais difundida pelas maternidades do mundo. Diversos hospitais norte-americanos já adotaram a prática de esperar entre 8 e 24 horas para dar o banho, e até 48 horas no caso de cesariana.

Por que ajuda o amamento materno exclusivo

Alguns mecanismos explicam o benefício no caso da amamentação, como o aumento de tempo de contacto entre mãe e bebé. Essa proximidade física imediata é considerada um dos fatores mais importantes para que o aleitamento materno exclusivo dê certo.

Por último, a autora do estudo aponta para a temperatura. Nesta pesquisa, os bebés que esperaram (pelo banho) tinham mais hipóteses de manter a temperatura corporal estável depois do primeiro banho. A especialista de obstetrícia Heather DiCioccio explicou que os bebés «não ficaram tão gelados como os que tomaram banho logo depois do parto, então provavelmente estavam menos cansados na hora de mamar».