Teresa Branco, Directora e Fisiologista na Gestão do Peso

Uma gravidez sã ocorre preferencialmente num corpo sadio, sendo essencial que a mulher, antes de engravidar, tenha saúde, para que a gestação decorra sem problemas.

A gravidez prepara-se, não se repara. Se a mulher não tiver défices hormonais, vitamínicos e minerais antes de engravidar, terá menos probabilidade de ter carências durante o período da gravidez. É muito importante também que a mulher não tenha excesso de peso antes de engravidar, pois essa condição poderá influenciar todo o processo de desenvolvimento do bebé.

Partindo deste pressuposto, se a mulher tiver excesso de peso antes de engravidar deverá perdê-lo de forma saudável, para que depois tenha uma gravidez com menos risco; no entanto, se a mulher engravidar com excesso de peso, isso não deverá ser um problema, porque poderá sempre fazer um acompanhamento que lhe possibilite uma boa gestão do peso durante a gravidez.

Perder peso antes de engravidar

Caso a mulher decida perder peso antes de engravidar, deverá fazê-lo com recurso a uma dieta saudável e praticando actividade física, de forma a manter o organismo sem grandes desequilíbrios. Abordagens na perda de peso em que se utilizem medicamentos não são as mais aconselhadas nesta altura da vida. A perda de peso deverá ser lenta, de forma a não criar alterações hormonais que impossibilitem a fecundação ou o desenvolvimento da gravidez. As perdas de peso rápidas promovem alterações hormonais importantes, bem como induzem carências vitamínicas e minerais, que poderão pôr em causa uma gravidez saudável. Assim sendo, é fundamental criar um ambiente mais sadio, menos inflamatório, antes de engravidar, recorrendo a uma perda de peso equilibrada.

A abordagem nutricional deverá passar sempre pela ingestão de vegetais, fruta com moderação, proteínas saudáveis e hidratos de carbono de baixo índice glicémico. Devem ser evitados os doces, o álcool, os adoçantes artificiais e todos os alimentos processados.

Necessidade de actividade física

Paralelamente, estas mulheres devem realizar actividade física de forma a ficarem com maior aptidão física, o que lhes permitirá passar pelo período da gravidez menos cansadas, menos deprimidas e ansiosas. Existem estudos que comprovam que as mulheres que praticam actividade física são, normalmente, mais tranquilas e gerem melhor o stress e a ansiedade. O reforço muscular abdominal, dorsal e dos membros inferiores é verdadeiramente importante para a mulher suportar a carga a que será submetida durante estes nove meses. O treino cardiovascular também deverá ser realizado, pois aumentará a resistência cardiorrespiratória da mulher, quer durante o processo de desenvolvimento do bebé, quer durante o trabalho de parto. Mulheres treinadas têm mais resistência durante o trabalho de parto e suportam melhor o peso que ganham sobre as suas articulações.

Fazer análises? Essencial

É também essencial que a mulher realize análises para perceber os seus défices hormonais, vitamínicos e minerais para que os possa colmatar. Usualmente é recomendado à mulher que faça uma ingestão de ferro, ácido fólico, Vitamina B12 e magnésio, no período que antecede a gravidez, de forma a não serem observadas carências depois de engravidar.

Transformações emocionais

Também é muito importante que estas mulheres estejam emocionalmente preparadas para as transformações que uma gravidez exige. Durante os nove meses de gestação, o corpo da mulher altera- -se muito e é necessário aceitar isso com naturalidade. Emocionalmente a mulher também sofre alterações causadas pela insegurança da situação, mas essas também se devem a todo o processo hormonal, que é muito brusco. Assim sendo, as mulheres devem estar preparadas para todas estas situações que irão ocorrer, de forma a não ficarem com níveis de ansiedade aumentados.

Gerir o peso durante a gravidez

Durante o processo de gravidez, é verdadeiramente importante que a mulher gira bem o seu peso. As mulheres que têm excesso de peso podem, inclusivamente, perdê-lo durante a gravidez, desde que esse processo seja feito de uma forma saudável. As mulheres com peso normal devem aumentar de peso de forma moderada, numa média de 10 a 12 kg. No entanto, algumas mulheres, mesmo tendo hábitos saudáveis, aumentam mais de 12 kg, o que não deverá constituir um problema, a não ser que estas mulheres tenham uma alimentação pouco saudável ou alguma alteração clínica que necessite de ser controlada.

Nos primeiros três meses a mulher aumentará muito pouco de peso, podendo aumentar cerca de 2-3 kg. No segundo trimestre, o aumento é maior, podendo a mulher aumentar cerca de 4 kg de peso corporal. É nesta fase que o bebé cresce e por isso o aumento do peso é natural. No último trimestre, o bebé estará a aumentar de peso e a engordar e a mulher também aumentará de peso, aproximadamente 3-4 kg. Após o parto, a mulher fica com menos 5-6 kg de peso corporal e perderá mais 1-2 kg nos 15 dias seguintes ao parto. Os restantes quilos são necessários para o período de amamentação.

Os benefícios do exercício

A actividade física feita de forma regular também ajuda na regularização dos níveis de açúcar e de insulina no sangue. O exercício deverá ser prescrito por um fisiologista do exercício e adequado às diferentes fases da gravidez. Também deverá ser levada em conta a aptidão física da mãe e o seu estado de saúde em geral. A gestão do stress e das emoções durante este processo é fundamental, para que a mãe consiga gerir bem a sua alimentação, as suas horas de sono e repouso. Mulheres ansiosas tendem a comer de forma emocional e a dormir menos repousadamente.

As horas de sono durante a gravidez são fundamentais para que a mulher consiga enfrentar as exigências que a maternidade recente exige. Planeie a sua gravidez e certifique-se de que adopta comportamentos saudáveis durante este período da sua vida, que será verdadeiramente marcante.

Alimentação acertada

Durante a gravidez a mulher deverá ter uma alimentação cuidada, sem açúcar, álcool ou alimentos processados. Deverá ingerir cereais integrais, de baixo índice glicémico, fruta com moderação e vegetais variados. A proteína saudável (carnes magras e peixe) deve estar presente em pelo menos duas refeições diárias. A água deve ser ingerida mesmo sem sede, de forma a que não exista desidratação. A suplementação com ferro, magnésio, acido fólico e Vitamina B, usualmente, é mantida durante a gravidez, no entanto, esta recomendação deve ser sempre orientada clinicamente.

Os níveis de açúcar no sangue e, consequentemente, os de insulina devem ser devidamente controlados, para que tanto a mãe, como o bebé, tenham um desenvolvimento o mais saudável possível. Usualmente as mães com açúcar elevado no sangue e hiperinsulinémicas têm bebés maiores e com maior possibilidade de virem a desenvolver diabetes e excesso de peso na idade adulta. A melhor forma de controlar os níveis sanguíneos de açúcar e de insulina é através de uma boa gestão da ingestão de alimentos doces e processados.

Artigo publicado na revista Kids Marketeer nº2 de Novembro de 2017.