Já está nas livrarias o relato, na primeira pessoa, de uma curta mas intensa experiência de vida de Sungju Lee. Este jovem coreano viu-se obrigado a sobreviver sozinho nas ruas da Coreia do Norte, com apenas doze anos.

Em A Cada Estrela-Cadente, o autor expõe as dificuldades porque passou quando abandonou a «vida boa» de Pyongyang e chegou a passar dias de fome e privação. Além disso, Lee ainda se viu sem os pais e acabou por formar família com um gangue de rua, pelo receio de poder preso, escravizado ou executado, e na resistência a ter de mendigar, roubar ou lutar.

Este testemunho de resiliência, baseado em factos verídicos, permite ao leitor ganhar consciência de que os direitos básicos dos quais, em pleno século XXI, não serem encarados da mesma forma no resto do mundo.

Editora: ASA/LeYa